Publicado em

I Congresso Brasileiro de Tricô

O I Congresso Brasileiro de Tricô foi especial. Recebemos pessoas de todos os cantos do Brasil e até de fora! Até São Pedro resolveu dar uma graça especial para o evento mandando um friozionho. Deixou o clima perfeito para tricotar.

Tricotar em todos os aspectos. No sábado cedo a equipe de organização já estava pronta para receber todos os participantes do Congresso. E foi o dia inteiro de correria, entrega de materiais, recepção dos participantes e muito bate-papo. Foi a oportunidade para muitas pessoas que se conheciam apenas via web poderem se abraçar, trocar ideias e, porque não, tricotar literalmente. Foi isso o que aconteceu no saguão do hotel Nacional Inn. As tricoteiras foram se reunindo e o tricô rolou solto por ali mesmo.

Na abertura (de fato) do Congresso, os convidados participaram de uma palestra  do responsável pela criação e desenvolvimento da Círculo, Luís Carlos Schimidt, que falou sobre o desenvolvimento de novos produtos, da possibilidade da utilização de fios mais trabalhados para detalhes em peças com fios mais comuns. Para fechar a palestra a Círculo trouxe um desfile com diversas peças confeccionadas com os mais diversos produtos da marca.

No domingo começaram as oficinas. As salas estavam lotadas de tricoteiras com muita disposição de aprender coisas novas ou aperfeiçoar. No primeiro dia de aulas os participantes puderam assistir aulas de primeiros pontos, como criar sua própria receita de xale, teceram a boina Welting, aprenderam como fazer um “top down”, ou seja, um blusa feita do pescoço para a cintura, aprenderam técnicas em jacquard e também como escolher o melhor fio para fazer uma receita.

Nos intervalos de tudo isso, a sala de expositores bombava. Todos se apertavam para poder conferir os produtos trazidos pela Novelo na Rede, pela Pintar e Bordar, pela Maria Ortiz Fios, pela Cisne, pela Fiolã, pela Fazenda Caixa D’água e pela Círculo. Muita gente tentou passar longe da sala, porque era tanta coisa bonita que era difícil resistir. Na pausa para o cafezinho que as alunas aproveitam para fazer novas amizades.

A palestra de domingo ficou sob a responsabilidade da Coats, representada pela marca Cisne no Congresso. Quem conversou com as tricoteiras foi a Paula Cappelli que falou sobre o tricô como profissão. Paula mostrou como os artesãos podem se profissionalizar tornando o trabalho rentável. Além da venda de produtos, foram apresentadas opções de fonte renda relacionadas ao tricô, como aulas e oficinas “terapêuticas”. Além da Paula, as pessoas que estavam na plateia também puderam colaborar com seus depoimentos.

A segunda-feira, o último dia de Congresso, começou como os demais. Foi mais um dia de aulas, muito tricô (em todos os aspectos) e muita animação. No segundo dia de oficinas, as alunas puderam participar das oficinas de tricô sem agulhas, de tricô rendado, tranças sem mistério, aprenderam como fazer duas meias ao mesmo tempo, luvas com agulha circular e também como fiar.

Foram dois dias de muito aprendizado, muita descontração, muitas risadas. Quem pode ficar mais um pouquinho pode dar uma passeadinha por Curitiba, que para completar a festa premiou a terça-feira com um céu de brigadeiro.
E preparem-se para o II Congresso Brasileiro de Tricô será em São Paulo, em 2013. Fique atento. Em breve mais informações.

Participou do Congresso? Conte para nós as suas impressões!

 

Olha o texto super bacana que a Garota Prendada fez sobre o Congresso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *